Sono após o almoço? Pode ser sua alimentação

13 de dezembro de 2015
Saúde e Bem-Estar
0Comentários

Tem dias que voltar para o trabalho após o almoço se torna uma tarefa para lá de difícil, o sono parece tomar conta e somente muito café é capaz de fazer o dia passar. Você sabia que talvez as suas refeições sejam o resultado dessa sensação de moleza e preguiça? Segundo a nutricionista funcional Bruna Vilela, o sono pós-almoço pode estar associado a erros alimentares em relação à qualidade e quantidade de comida.
O excesso de carboidratos e sobremesas com açúcar no almoço pode ser causa da sua sonolência no trabalho
“É comum excedermos no carboidrato ao almoçarmos em restaurantes com uma grande oferta de alimentos e uma das causas do sono está na forma como o ingrediente é metabolizado. Ao ingerirmos alimentos ricos em carboidratos simples, acontece um pico de glicemia no sangue, que é seguido por uma baixa. Durante essa baixa, sentimos essa falta de disposição que pode vir seguida de sono”, explica a profissional, esclarecendo que o excesso de carboidratos como macarrão, arroz, batata, farofa, suco de laranja e sobremesas com muito açúcar pode ser a causa da sua sonolência.
Bruna conta que depois de uma refeição de grandes quantidades, o nosso sistema digestivo precisa de muita oxigenação para realizar suas funções e o corpo acaba diminuindo o fluxo sanguíneo de outras áreas do corpo, inclusive cérebro. “A solução é não exagerar no carboidrato, aumentando o consumo de legumes para dar mais saciedade e fracionar as refeições, para não ir almoçar morrendo de fome e correndo o risco de exagerar na quantidade”, indica.
No cardápio sugerido pela nutricionista, além de legumes e saladas em maiores quantidades, entram porções de carne magra (suína, bovina, peixe ou frango) sem gordura. Na opção como carboidrato, ela aconselha arroz integral, quinoa, batata doce e aipim sem excessos.
Em relação aos estimulantes do dia a dia, ela recomenda até no máximo dois expressos por dia (aproximadamente 80 ml) ou de 3 a 4 xícaras de café coado. “Exceder muito essa quantidade pode ser prejudicial”, alerta Bruna. Outras opções são os chás: “Chá preto, chá branco, mate e chá verde são bons estimulantes. O consumo máximo indicado é de 4 a 5 xícaras por dia e o ideal é que o chá seja feito a partir da erva orgânica. Os sachês entram como segunda opção”.
Os chás também servem para quem chega em casa no final do dia e sente o sono ir embora. Bruna Vilela diz que ervas como melissa, camomila e mulungu são boas para combater a insônia e proporcionar relaxamento. Basta tomar uma xícara 40 minutos antes de dormir. Ela acrescenta: “Deve-se evitar refeições muito volumosas e ricas em carboidratos simples pelo menos 3 horas antes de dormir. Ovos, abacate e castanhas são boas opções de ceia”. Outras dicas da nutricionista para quem tem insônia são: evitar atividades físicas noturnas ou ingerir produtos industrializados como sopas, molhos e temperos prontos. “Eles contém glutamato monossódico, aditivo alimentar que também pode trazer insônia – além de outros danos a saúde. É importante checar os ingredientes dos alimentos e não consumir os que possuem esse composto em sua composição”, avisa.
Fonte: GNT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos que você pode gostar

No final de semana do feriado da Proclamação da República, o Mercado Municipal de Curitiba ...
9 de novembro de 2020
Mais de 20 pratos com preços promocionais e receitas inspiradas nos quatro cantos do mundo. Pela ...
13 de outubro de 2020
O câncer de mama é o mais frequente entre as mulheres brasileiras, com quase 60 mil casos por ...
12 de outubro de 2020
Open chat