Motivos para não emagrecer mesmo fazendo dieta

28 de março de 2016
Saúde e Bem-Estar
0Comentários

Abusos nos finais de semana, noites mal dormidas e uso de remédios podem ser causas.
Por: Dra. Alessandra Rascovski Gobbi – ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA – CRM 80126/SP
Todas as pessoas que começam a fazer uma dieta ficam absolutamente ansiosas pelos resultados, mas qual a expectativa correta? Seguindo uma dieta saudável, o esperado é uma perda de peso entre 0,5 a 1kg por semana e a velocidade de perda de peso depende de vários fatores, como: quanto maior o excesso de peso, maior o emagrecimento inicial, porque também se perde líquidos, se a dieta restringir carboidratos, também a perda de peso inicial é maior, mas não quer dizer que o resultado final será diferente.
E quando a perda de peso não aparece em pelo menos duas semanas de dieta, é melhor procurar fatores que podem influenciar o resultado da balança, apesar de todo esforço.
Abusos no final de semana: aqui a causa é matemática, para emagrecer 0,5 a 1kg deve-se fazer uma economia de pelo menos 500 calorias/dia e o final de semana é cheio de evento onde é fácil consumir muitas calorias na forma de um “pequeno” pedaço de bolo ou algumas doses de bebida alcoólica.
Dormir mal: vários estudos já comprovaram que sono de menos inibe a produção de leptina (hormônio da saciedade) e aumenta a grelina (hormônio da fome), ou seja, você quer comer mais e demora para se sentir satisfeito.
Uso de remédios: medicamentos como alguns antidepressivos, corticóides e anticoncepcionais injetáveis podem propiciar ganho de peso.
Ovários policísticos: mulheres com esta doença produzem insulina em excesso e entre o quadro clinico está irregularidade menstrual, acne, aumento de pelos e ganho de peso.
Doenças da tireoide: pessoas que desenvolvem hipotireoidismo podem aumentar de peso, mesmo comendo adequadamente e com atividade física. Além disso, podem apresentar pele seca, sonolência, intestino preguiçoso e cansaço.
Estresse crônico: favorece a produção de cortisol, hormônio que aumenta os depósitos de gordura, principalmente na região do abdome, além de diminuir as reservas de massa muscular.
Além disso, como carboidratos e doces liberam serotonina, estes alimentos podem ser usados intuitivamente para gerar conforto emocional.
Moral da história: se a dieta e atividade física não estiverem sendo suficientes para controlar seu peso, melhor procurar um médico ou nutricionista para ajudá-lo encontrar a conduta terapêutica correta.
Fonte: Minha Vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos que você pode gostar

No final de semana do feriado da Proclamação da República, o Mercado Municipal de Curitiba ...
9 de novembro de 2020
Mais de 20 pratos com preços promocionais e receitas inspiradas nos quatro cantos do mundo. Pela ...
13 de outubro de 2020
O câncer de mama é o mais frequente entre as mulheres brasileiras, com quase 60 mil casos por ...
12 de outubro de 2020
Open chat