Como a fisioterapia pode ajudar quem quer emagrecer?

12 de maio de 2016
Saúde e Bem-Estar
0Comentários

Tratamento pode corrigir desvios posturais e melhorar contorno corporal
Por: Taynara Lima (FISIOTERAPIA – CREFITO 178459-F/RJ)

O típico quadro de obesidade observado na sociedade atual se dá pela relação entre o número de células de gordura (adipócitos) e os lipídeos que as preenchem. Os obesos possuem um número de células de gordura maior que as pessoas magras, influenciando no aumento de peso corporal, que, quando ocorre constantemente, pode conduzir ao aparecimento de mais dessas células. A falta de exercício físico e a alimentação desregrada podem incentivar a formação destas células, que podem aumentar seu tamanho, pois funcionam como reservatório de “energia”.

Uma simples dor nas costas pode ser devida com uma alteração na forma de pisar. Já o acúmulo de gordura localizada na região do abdômen de forma irregular pode ser acarretado por uma alteração postural. O fisioterapeuta, com sua visão holística, tanto identifica quanto trata esses problemas. Esses dois quadros podem ser observados em indivíduos obesos e magros, mas o aumento de peso pode reforçar ou piorar um quadro que aparentemente é simples ou de fácil resolução para os leigos.

O excesso de peso, por exemplo, pode produzir distúrbios posturais e muitas vezes a ausência de força muscular e de alongamento adequado auxilia o aparecimento desses distúrbios. A forma como se deve conduzir o programa específico de tratamento de acordo com a queixa individual é de inteiro papel do fisioterapeuta. Ele visa à melhora da condição muscular e óssea e da aparência, bem como identifica, orienta e conscientiza outras doenças no sistema corporal que interferem no seu perfeito funcionamento. Coloca em questão a proposta de tratamento visando sempre a melhora, conforto e conscientização, pois deve pontuar as limitações e orientar a forma correta de atuação entre os diversos casos.

A obesidade é observada muito comumente numa consulta fisioterapêutica, seja por queixa na aparência (estética) ou por outras queixas, como dor numa articulação específica (joelho, por exemplo) ou na região da coluna. Essa correlação entre a situação de obesidade de um indivíduo e a queixa apresentada permite ao profissional expressar orientações devidas e traçar um plano de tratamento a ser seguido.

Entre as diversas orientações, a perda de peso por saúde interfere positivamente na melhora da condição respiratória, muscular e óssea. Vale ressaltar que muitas vezes é necessária uma equipe multidisciplinar.

Fonte: Minha Vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos que você pode gostar

No final de semana do feriado da Proclamação da República, o Mercado Municipal de Curitiba ...
9 de novembro de 2020
Mais de 20 pratos com preços promocionais e receitas inspiradas nos quatro cantos do mundo. Pela ...
13 de outubro de 2020
O câncer de mama é o mais frequente entre as mulheres brasileiras, com quase 60 mil casos por ...
12 de outubro de 2020
Open chat