Café e o cancro no intestino

18 de agosto de 2015
Curiosidades
0Comentários

O consumo habitual de café poderia aumentar as possibilidades de sobreviver ao cancro do intestino e proteger os pacientes de recaídas, segundo um estudo divulgado pela publicação britânica “Journal of the Clinical Oncology”. 
Cientistas descobriram que pacientes que recebiam o tratamento e consumiam altas doses de café, quatro ou mais chávenas por dia, tinham cerca de 42% de possibilidades menos de reincidir que aqueles que não consumiam a bebida.
O estudo também mostrou como os pacientes que bebiam café tinham 33% menos possibilidades de morrer de cancro que os demais pacientes.
O médico Charles Fuchs, diretor do Centro de Cancro Gastrointestinal de Boston, nos Estados Unidos, afirmou ter comprovado que “os consumidores de café têm um risco menor de desenvolver cancro, além de que a sobrevivência e as possibilidades de cura aumentam consideravelmente”.
Apesar dos resultados do estudo, Fuchs mostrou-se cauteloso com os potenciais benefícios do café como tratamento alternativo para os doentes de cancro de intestino.
“Se você bebe café habitualmente e está em tratamento de cancro do intestino, não deixe de bebê-lo. Mas se voc~E não é um consumidor habitual acha que deveria começar a ser, primeiro consulte o seu médico”, declarou o investigador.
Ainda que seja a primeira vez que um estudo relaciona o consumo de café com a redução do risco de recaída, investigações prévias indicaram que a bebida poderia proteger contra vários tipos de tumores malignos, incluindo os melanomas, o cancro de fígado e o de próstata avançado.
Fonte: RTP
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos que você pode gostar

Setor é o primeiro do Brasil dedicado a produtos sem agrotóxicos e terá muitas ofertas Orgânicos ...
24 de maio de 2022
Na quinta-feira, dia 14 de abril, o Mercado Municipal abre das 8h às 18h. Na sexta-feira, 15 de ...
11 de abril de 2022
Evento para quem produz e para quem ama queijo terá programação com cursos,análises sensoriais e ...
30 de março de 2022