Botox além da estética

11 de julho de 2015
Saúde e Bem-Estar
0Comentários

A toxina botulínica (botox) é conhecida pela maioria por sua aplicação na estética, para amenizar rugas e linhas de expressão.
O que muitos não sabem, é que ela pode ser uma grande aliada em casos de rigidez muscular e espasmos na musculatura – complicações comuns decorrentes de AVC (Acidente Vascular Cerebral), traumatismo cranioencefálico, esclerose múltipla, doença de Parkinson em estágio avançado e até paralisia cerebral e enxaquecas.
O objetivo do botox não é substituir o tratamento das doenças, mas devolver qualidade de vida aos pacientes que apresentam esses problemas.
Segundo o médico André Pedroso, especialista do Núcleo de Neurologia do Hospital Samaritano, “essas doenças e suas complicações, que precisam sempre de tratamento especializado, são intensamente melhoradas com o uso da toxina, cujo principal objetivo é oferecer melhor qualidade de vida. Ele não substitui o tratamento “convencional”, mas associado ao tratamento, se consolida cada vez mais como aliado dos pacientes, que chegam a atingir 90% de sua funcionalidade após a aplicação”.
Segundo o especialista, a principal vantagem do tratamento é a segurança no procedimento, com taxas de complicações muito baixas. O método não tem contraindicação e é quase indolor. As aplicações costumam ser locais, apenas na parte comprometida pela doença, e os resultados começam a ser percebidos em poucos dias, sendo no 15º dia a substância chega ao seu pleno efeito e os resultados são bastante perceptíveis durante a atuação da toxina, que costuma durar cerca de 6 meses.
Enxaqueca
Um outro problema que pode ser tratado pela toxina botulínica é a enxaqueca crônica, ou seja, a dor de cabeça que não responde mais aos analgésicos.
Neste caso, o método é indicado quando o problema se torna crônico e a dor, que dura 15 dias por mês, já não passa mais com o uso de analgésicos. A substância atua direto na terminação nervosa, impedindo a comunicação entre o nervo e o músculo, em diversas partes do corpo. Esta técnica é chamada de bloqueio neuroquímico, por isso funciona tão bem nos casos de enxaqueca de difícil controle.
Fonte: UOL Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos que você pode gostar

Na quinta-feira, dia 14 de abril, o Mercado Municipal abre das 8h às 18h. Na sexta-feira, 15 de ...
11 de abril de 2022
Evento para quem produz e para quem ama queijo terá programação com cursos,análises sensoriais e ...
30 de março de 2022
Nesta terça -feira, 8 de março, o Mercado Municipal de Curitiba realiza a ação Acerte o Alvo, em ...
7 de março de 2022