Asma: veja como a homeopatia também pode tratá-la

19 de agosto de 2016
Saúde e Bem-Estar
0Comentários

Tratamento homeopático leva em conta sintomas e características das crises

Por: Dra. Isis Dulce Pezzuol – PEDIATRIA – CRM 39546/SP

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que a asma é uma doença que não tem cura, nem pelo tratamento alopático (da medicina convencional) bem com a homeopatia.

Asma é definida como doença crônica das vias aéreas, portanto como digo em consulta, tem começo, mas não tem nem meio e nem final. Essa é a definição de doença crônica. A procura por diferentes formas de tratamento se justifica pela gravidade que a doença pode assumir, principalmente na mais tenra idade.

Como a homeopatia trata a asma?

A asma é uma doença crônica, e Hahnemann, pai da homeopatia, ao iniciar suas pesquisas, percebeu que algumas doenças, apesar de bem conduzidas e com tratamento correto, sempre retornavam – inclusive alguns relatos dizem que ele mesmo era asmático. Parte de seus estudos foram consagrados a doenças crônicas que deveriam ser tratadas de outra forma.

No tratamento homeopático tentamos entender como é a crise de cada paciente. Não existe um medicamento para asma, existem cerca de 200 medicamentos. Como escolher?

A decisão é tomada levando em conta os sintomas mais característicos. Para isso, são feitas uma série de perguntas como:

• Desde quando você tem asma?
• Como foi a primeira crise?
• O que desencadeou? Foi depois de algum adoecimento, após uma virose (comum em lactentes), após uma contrariedade, após uma perda?
• Quais os horários em que você tem crises: manhã , tarde , noite, madrugada? A que horas mais ou menos?
• Que tipos de climas desencadeiam mais crises: dias de calor, chuva, ao tomar ar frio?
• Você tem a asma após ingestão de algum alimento? Picada de inseto?
• Como são as crises: com tosse, com peito cheio, com vômitos, escuta ao longe o chiado?

Enfim, as crises são muito diferentes e saber com a maior exatidão como elas funcionam ajuda na escolha do melhor medicamento.

A teoria nos conta que no medicamento homeopático existe uma informação que é enviada até a hipófise acostumando o corpo a uma resposta correta, um estímulo habitual. Por exemplo, se o medicamento passa repetidas vezes a mensagem “Não faça crise se o tempo esfriar”, o corpo vai como que aprendendo a responder corretamente a essa situação, não causando mais crises.

Com a repetição e manutenção do medicamento homeopático as crises tornam-se mais leves, mais fáceis de lidar mesmo em casa, até seu desaparecimento – que não é uma cura, mas ausência de crises agudas.

Na prática do consultório o que percebo é que as crises são mais esparsas, mais pontuais e com resolução muito mais rápida. Como já dito em outros artigos, a homeopatia pode ser usada sozinha ou com alopatia.

Observação desde cedo

É importante que crianças com histórico de asma na família sejam observadas desde cedo. Isso porque a criança é constituída por metade do DNA da mamãe e a outra metade pelo DNA do pai. Essa soma é imutável, invariável. Então, se o pai ou a mãe ou familiares de linhagem (como avós) tem asma, a criança carrega com ela a capacidade de ter o quadro em algum momento da vida.

Amamentação exclusiva até o sexto mês de vida, não consumir alimentos industrializados até os dois anos (biscoitos, sucos de caixinha, chocolate, refrigerantes) e iniciar precocemente o uso de homeopatia auxiliam para que o gene da asma não se manifeste.

Mas a homeopatia não demora muito para tratar?

Falta de ar, chiado no peito e cansaço são sintomas característicos da doença. É importante lembrar que é uma doença dependente de oxigênio, daí a urgência em ser tratada. Quando a crise de asma se inicia, o corpo lança mão de mecanismos de defesa para compensar a falta de ar e auxiliar na respiração, fazendo com que os músculos intercostais, da região do pescoço e do diafragma entrem em alerta. Por isso, em crise “afunda” a região do pescoço e abdômen. Lembrar que isso é um mecanismo de defesa com tempo para agir, esgota e acaba, produzindo sérios quadros de insuficiência respiratória. Seja qual for a forma de tratamento, não aguarde em casa indefinidamente e procure um pronto socorro.

Ouve-se muito que o tratamento com homeopatia demora muito e isso depende do que você quer. Frente a uma crise aguda, é preciso que o medicamento funcione rapidamente para tirar o paciente da crise e isso a homeopatia faz com a escolha do medicamento para crise.

O que demora – e não sei precisar quanto tempo – é escolher o melhor medicamento para que o paciente não entre na crise. Isso depende muito da doença, da forma de adoecer, fatores ambientais e psicológicos.

O importante é o conforto e segurança do paciente. Pensando em um tratamento que será feito por um longo período, o medicamento homeopático é desprovido de efeitos colaterais e com um resultado muito favorável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos que você pode gostar

No final de semana do feriado da Proclamação da República, o Mercado Municipal de Curitiba ...
9 de novembro de 2020
Mais de 20 pratos com preços promocionais e receitas inspiradas nos quatro cantos do mundo. Pela ...
13 de outubro de 2020
O câncer de mama é o mais frequente entre as mulheres brasileiras, com quase 60 mil casos por ...
12 de outubro de 2020
Open chat